Chloë está na capa da Marie Claire EUA de fevereiro – veja o photoshoot aqui -, onde, entre outros assuntos, fala sobre a família, a carreira e sua vida amorosa.

Veja alguns destaques da entrevista a seguir e os scans da publicação na galeria do site.

O divórcio de seus pais: “[Ele] me fortaleceu muito. Me fez mais dura em mim mesma. Foi tão pesado quanto você pode entender o que é desmantelar uma família, com certeza. Ele acabou de sair, por isso é como você ter que se defender por si mesmo… Quando você é traído por alguém que é do seu sangue, você começa a tomar cuidado ao confiar nas pessoas e se protege a todo custo. Por um longo tempo, eu fiz muito isso. Não deixei as pessoas se aproximarem”.

Filmar “Kick-Ass”: “Eu era puro músculo nessa idade [12]. Era capaz de fazer 200 flexões. Foi loucura”.

Namorar: “Eu não quero sair com pessoas mais velhas, porque tenho 18 e pessoas mais velhas são mais sérias. Então eu meio que percebi, ‘Vou a encontros, por que não?’. E é assim que estou agora. Não vou procurar por um tempo. Pelo menos, até que eu tenha 23”.

Filmar “Carrie” e ler e acreditar obssessivamente em críticas em mídias sociais: “Me sentia gorda, não me sentia bonita. Senti como se eu realmente não soubesse quem era. Estava tão confusa, eu estava assustada. Eu tive acne. Eu me senti incrivelmente insegura”.

Ficar mais velha: “Estou tão livre agora. Não sei o que aconteceu, mas quando eu completei 17 anos, este enorme peso foi tirado dos meus ombros. Estou tão aberta; tenho me divertido; não me preocupo com o que as pessoas dizem sobre mim. Eu sei quem eu sou, quem eu quero ser, o que eu quero representar para mim mesma, o que eu quero que as pessoas pensem de mim”.

Fonte | Tradução: Cristina – CMBR

# Entrevista, Galeria, Scans