Categoria: A Família Addams

A animação “A Família Addams 2: Pé na Estrada” que conta com a dublagem de Chloë como Wandinha estreiou oficialmente nos cinemas brasileiros. Consulte a programação de sua cidade para horários e aproveite este filme super divertido!

# A Família Addams, Filmes

Finalmente! O filme animado “A Família Addams: Pé na Estrada” que conta com a participação de Chloë Moretz na dublagem da personagem Wandinha, ganhou data de estréia nos cinemas brasileiros: 28 de outubro.

A família assustadora favorita de todos está de volta na nova sequência da animação, A Família Addams 2: Pé Na Estrada.Neste filme totalmente novo, encontramos Morticia e Gomez perturbados porque seus filhos estão crescendo, faltando em jantares de família e totalmente consumidos pela “hora dos gritos”. Para recuperar o vínculo, eles decidem enfiar Wandinha, Feioso, Tio Chico e a equipe em seu trailer mal-assombrado e pegar a estrada para as últimas férias familiares miseráveis. Sua aventura pela América os tira de sua zona de conforto e os colocam em confrontos hilariantes com seu primo icônico, It, bem como muitos novos personagens excêntricos. O que poderia dar errado?

# A Família Addams, Filmes

As primeiras entrevistas de Chloë Moretz sobre “A Família Addams 2: Pé na Estrada” começaram a ser liberadas e traduzimos as do Screenrant e Collider. Confira:

Screen Rant

Screen Rant: Eu amo que esta seja a vez da Wandinha entrar em sua própria crise existencial. Você pode falar sobre como foi a explorar encontrando o seu lugar no mundo?

Chloë Grace Moretz: Foi exatamente como me senti. Sinceramente, fiquei muito empolgada quando começamos a gravar e descobrir que ela era uma personagem intrínseca à essa história e a todo o filme. Nós realmente seguimos sua história de maturidade, com ela realmente descobrindo se ela é uma Addams ou não?

Foi muito divertido encontrar os novos tons da Wandinha e descobrir como soavam aqueles vocais, e como transmitir sentimentalismo e coisas assim em um personagem que é 90% do tempo monótono e quase sociopata.

Foi um pouco estonteante e divertido, e um quebra-cabeça para montar. Mas acho que nos divertimos muito, e os roteiristas fizeram um trabalho tão bom com os elementos da comédia dentro da história. Honestamente, é engraçado demais em alguns momentos.

Divertir-se não é exatamente a ideia de passa-tempo de Wandinha, mas nós temos uma viagem inteira com a Família Addams. Em que lugar você se divertiu mais mostrando que ela não estava se divertindo?

Chloë Grace Moretz: Eu realmente amei a frase em que sua mãe dizia, “Como você está, querida?” E ela disse, “Estou olhando para o Canadá, se isso diz alguma coisa.” Achei a sequência das Cataratas do Niágara tão engraçada. O Canadá é incrível; todas as coisas boas no Canadá, mas que frase engraçada. É tão Addams, e é tão Wandinha.

Acho que a sequência das Cataratas do Niágara e a do Grand Canyon [foram as minhas favoritas]. Também a sequência do concurso! A sequência do desfile é uma das coisas mais engraçadas. Ela olha para o pai e pensa: “Isso não vai acabar bem para você.” Ver Wandinha com uma peruca loira foi assustador. Absolutamente aterrorizante. Eu estava tipo, “Não! Quem fez isso com ela?”

A Família Addams é literalmente sempre sobre família; o que significa ser uma Addams e o que significa ser uma família. Para você, pessoalmente, qual é o vínculo entre eles que os torna tão poderosos?

Chloë Grace Moretz: Eu acho que é a capacidade deles de permitir que eles sejam eles mesmos. Eles não tentam realmente classificar um ao outro e realmente não tentam conter um ao outro; eles têm permissão para ser quem eles são, descaradamente.

Acho que é algo que sempre fiz com os Addams, com certeza. Sempre encontrei uma sensação de conforto na dinâmica familiar deles; quão estranho é e quão excêntrico é.

Somos todos Addams honorários.

Esperançosamente, teremos muitas outras aventuras por vir. Agora que Wandinha superou esse obstáculo específico, há algo que você gostaria que ela explorasse em sua vida ou na dinâmica familiar a seguir?

Chloë Grace Moretz: Seria interessante ver Wandinha começar a namorar. Adoraria ver como seria se Wandinha gostasse de alguém porque a vimos navegar sozinha. Eu acho que foi realmente maravilhoso vê-la crescer dessa forma e se tornar sua própria pequena dama nesta família e ser respeitada como uma. Acho que seria interessante vê-la flertar. Como Wandinha soaria quando estivesse flertando? Eu adoraria saber.

Ou lidar com alguém tentando dizer a ela o que fazer. E ela fica tipo, “O quê? Com ​​licença?” Seria interessante ver um romance adolescente com Wandinha.

O que foi mais diferente em gravar dessa vez? Você gravou durante a pandemia ou já foi quase todo feito antes?

Chloë Grace Moretz: Não, começamos a gravá-lo no meio da pandemia. Começamos na minha casa em Los Angeles, e então acabei tendo que sair e começar a filmar em Boston. Então, acabamos gravando predominantemente do meu closet em um apartamento em Boston. Sim, estava em todo o lugar.

Acho que se algo pode ser feito na pandemia, a dublagem foi a coisa perfeita. Então, eu me senti muito sortuda por ter sido uma válvula de escape criativa em uma época em que, infelizmente, não havia muitas oportunidades para muitas pessoas.

Collider

Collider: Agradeço por falar comigo sobre isso. Eu amo a Família Addams. Eu amei o antigo programa de TV. Eu amei os filmes live-action. Eu me divirto muito com esses filmes animados. Como você canaliza sua Wandinha interior? Há alguma coisa que você faça para voltar imediatamente à voz e à mentalidade dela?

CHLOE GRACE MORETZ: Eu acho que o mais importante é tentar realmente descobrir sua entonação e sua vocalidade nas vogais. Algo que eu realmente encontrei no primeiro filme e o que surpreendeu a todos nós foram suas pronúncias estranhas de palavras e como ela provavelmente nunca disse essas coisas antes. Então, eu realmente tentei focar nisso e entrar no espaço onde ela ainda está observando e entendendo e chegando quase ao século 21. Ela saiu de 1700 e quase entrou no século 21.

Quando você a expressa, você faz alguma coisa para entrar no personagem? Mesmo que isso seja animado e nós não vemos você, você se veste de uma maneira particular ou muda sua fisicalidade quando a está expressando?

MORETZ: Eles sempre nos gravam enquanto estamos fazendo nossas vozes porque eles realmente mapeiam na animação, muitas vezes, o que fazemos com nossos rostos. Eu adoraria ver essas gravações porque eu realmente me envolvo, cem por cento. Você começa a fazer pequenas coisas como ela e a fazer pequenas coisas estranhas com seu rosto, então cem por cento, você tem que entrar nisso. Você tem que entrar fisicamente nisso porque, se não fizer isso, soa simplista. Quando falamos na vida real, ficamos muito animados. Acho que há um trocadilho em algum lugar. Então, quando você está fazendo animação, tem que estar tão animado quanto na vida real, se não mais. É tentar aumentar a aposta ao mesmo tempo em que interpreta um personagem que é predominantemente monótono. É tentar andar nessa corda bamba.

Mesmo que a Família Addams seja tão conhecida e icônica como personagens, esta versão parece um pouco diferente. O que você gosta no visual e na personalidade dela e nesta Wandinha específica?

MORETZ: Isso foi algo muito divertido no começo destes filmes. Todos nós realmente queríamos evitar os diferentes tipos de Addams que vieram antes de nós e realmente começar a adicionar um novo sabor a ele. Isso foi algo que eles me disseram, desde o início. Eu estava tipo, “Até onde posso ir com minha própria opinião sobre Wandinha?” E eles estavam basicamente tipo, “Vá em frente. Vá em frente e veja onde ele mora em você.” E então, eu realmente tentei encontrar minha própria Wandinha e encontrar algo diferente para o público, porque é algo que eu realmente amo, assistir remakes, é quando as pessoas têm sua própria opinião sobre o personagem e seu próprio ritmo sobre o personagem. Isso era algo que realmente queríamos modernizar e ver como seria.

Wandinha tem um pouco de crise de identidade neste filme.

MORETZ: Um pouco.

Vê-la tentar se encaixar em outra família realmente ajudou a solidificar por que ela pertence à Família Addams para você?

MORETZ: Oh, com certeza. Ela com gola olímpica e jaleco, de jeito nenhum. Isso não é Wandinha Addams. E então, ela chamando Morticia de Morticia, em vez de mãe, eu fiquei tipo, “Ah, não! Não faça isso!” Mas cem por cento, mesmo que ela não fosse parente de sangue, ela é uma Addams, não importa o que aconteça. Algo que adoro nessa história também é a ideia da família escolhida e como, no final, ela escolhe ser uma Addams, não importa o que aconteça, mesmo sendo uma Addams.

O que você mais gosta no processo de fazer o trabalho de dublagem? A sensação é diferente quando você está dando voz a um personagem famoso, em vez de apenas um animal que você não poderia ser na vida real?

MORETZ: Oh, cem por cento. Você realmente quer entrar na fisicalidade, quando você está sendo uma pessoa, e você realmente quer tentar personificá-los de uma forma que eles se sintam humanos e sintam que podem sair da tela. Quando você realmente entra no ponto ideal é quando você assiste ao filme e se sente emocionado e maravilhado com a emoção. Com este, com certeza, eu definitivamente chorei no final. Fiquei realmente comovida com essa visão desse filme.

Você sabe o que vem por aí para você, no que diz respeito a live-action e podermos vê-la em sua própria forma?

MORETZ: Sim. Tenho o Mother/Android saindo em 17 de dezembro. Eu vou lançar um monte de coisas sobre isso em breve. E então, atualmente, estou filmando uma série para a Amazon, dos criadores de Jonah Nolan e Lisa Joy, chamada The Peripheral.

E isso também é ficção científica, certo?

MORETZ: É muito ficção científica, sim.

O que a atraiu nesse projeto e que tipo de abordagem de ficção científica é?

MORETZ: Acho que William Gibson é um grande escritor. Sempre me interessei pela escrita dele. É um livro maravilhoso. E então, trazendo isso para a atmosfera de Jonah e Lisa, em Kilter, que estão produzindo isso. Sempre adorei a visão dele sobre projetos e sempre amei a visão dela sobre projetos, e acho que eles são realmente brilhantes. Eles reuniram um elenco e uma equipe realmente maravilhosos para isso e um ótimo showrunner (Greg Plageman). É minha primeira incursão na TV e mal posso esperar que as pessoas vejam o que pensam dessa história. Realmente lida com ideais muito realistas, para o que estamos passando atualmente no mundo, ao ponto de, quando estávamos filmando a série, pensamos: “Não estamos realmente em um futuro distópico, mas nós estamos apenas em um documentário sobre nós?” Então, foi divertido. Tem sido incompreensível. Tem sido complicado, mas divertido. Acho que as meias vão explodir um pouco, por causa disso. É complicado.

# A Família Addams, Entrevista, Notícias

A divulgação de “A Família Addams 2: Pé na Estrada” começou! Hoje foram liberadas as primeiras entrevistas de Chloë para falar sobre o filme, que estreia nos EUA em 1 de outubro. Confira:

# A Família Addams, Entrevista, Notícias, Vídeos