Sejam bem-vindos ao Chloe Moretz Brasil, sua principal fonte sobre a atriz americana, conhecida pelos papéis de Hit-Girl em Kick-Ass, Mia em Se eu Ficar e Cassie Sullivan em A 5ª Onda. O CMBR é um site feito de fã para fã, com o objetivo de informar e entreter aqueles que acompanham a carreira de Chloe. Sintam-se livres para desfrutar e compartilhar nosso conteúdo, que varia desde fotos, vídeos, notícias, à matérias traduzidas. Voltem sempre!

O site Film News UK comentou a recente entrevista de Chloe à revista Flaunt, confira a matéria traduzida pelo CMBR a seguir:

Chloe Grace Moretz nunca saiu dos trilhos enquanto estrela infantil por causa do apoio constante de sua família.

A atriz de 21 anos, que vem atuando profissionalmente desde 2004, credita o clã Moretz por ajudá-la a navegar pelos altos e baixos de estar sob o olhar público.

“Minha família tem sido minha identidade”, disse ela à revista Flaunt. “Eu não saberia o que fazer sem eles em muitos aspectos – nós trabalhamos juntos, nós vivemos juntos, somos todos os melhores amigos uns dos outros e tudo mais, realmente.”

“Ter o apoio deles na minha vida tem sido uma das grandes razões pelas quais fui capaz de navegar nesta indústria e não cair na escuridão que é muito, muito real nesta indústria.”

De acordo com a Flaunt, a mãe de Chloe, Teri, e seu irmão Brandon, a ajudam com o lado comercial de sua carreira, enquanto seu irmão Trevor a ajuda com sua atuação. Ela também tem seus irmãos Colin e Ethan. Seu pai, o cirurgião plástico McCoy Moretz, deixou a casa da família quando Chloe tinha 13 anos.

Enquanto a estrela de Carrie gosta de deixar seu trabalho falar, ela está feliz em expressar suas opiniões sobre as injustiças dentro de sua indústria escolhida, mas está aborrecida por ter conseguido o rótulo de “sincera” simplesmente porque é uma mulher.

“Foi ao longo de toda a minha carreira, na verdade. Eu me deparei com padrões duplos, sendo apenas uma jovem que teve uma carreira substancial. Eu tive que lutar para ser ouvida“, a atriz suspirou.

“Se eu fosse homem, não seria uma questão de saber se meu conselho para a minha personagem seria ou não algo que elas olhariam para. E, em vez disso, eu tive que implorar por uma audiência de altos escalões, só para fazer com que eles me escutassem. Os homens não têm que lutar por sua voz nesse sentido. Eles são apenas uma espécie e dado à plataforma, enquanto para mim, sempre foi uma luta, uma luta e um pedido de desculpas – sendo como, “Oh, esta é a minha ideia, mas desculpe por interpor!”

Fonte

Chloë concedeu uma entrevista ao The Daily Telegraph, onde falou sobre diversos assuntos, incluindo feminismo, crescer sem uma figura paterna, término do namoro com Brooklyn no ano passado e como ela escolhe seus trabalhos. Confira:

ENQUANTO mulheres em Hollywood continuam falando sobre questões relacionadas a assédio sexual, misoginia e desigualdade, fica claro, em retrospecto, que Chloë Grace Moretz esteve tocando o alarme o tempo todo.

Com apenas 20 anos, ela se fez um nome por não ter medo de liderar publicamente a carga como uma voz jovem, vibrante e socialmente envolvida para a geração mais nova da indústria.

Eu sou sincera e não tenho medo de falar o que penso, mesmo que seja controverso”, diz Moretz a Stellar.

“Parece que não estou fazendo o que é certo no mundo se eu não me educar. Se for importante, vou falar sobre isso. Não penso se isso prejudica minha carreira ou não”.

Desde que surgiu como a líder do filme boca-suja e anti-super-heróis, Kick-Ass em 2010, filmado quando tinha 13 anos – Moretz provavelmente atraiu mais atenção por sua honestidade do por seu currículo, que é salpicado com grandes épicos hollywoodianos (Hugo), terrores tradicionais (remakes de The Amityville Horror e Carrie) e comédias nas telonas (Neighbours 2: Sorority Rising) e nas telinhas (30 Rock).

Apesar de sua idade, ela ponderou sem rodeios sobre tudo, desde vergonha-corporal (no início deste ano, ela revelou que um co-estar masculino lhe disse que ele não a namoraria porque ela era “muito grande”), direitos LGBTQ (ela tem dois irmãos homossexuais) à política (ela fez campanha para Hillary Clinton no ano passado).

“Eu sinto o dever de falar sobre essas coisas”, diz Moretz. “É claro que eu quero desligar meu telefone e fugir, e enfiar minha cabeça na areia. Mas você não pode; Você tem que fazer alguma coisa.”

Quando Stellar encontrou a atriz, ela estava participando de uma festa ensolarada na High Line de Nova York (uma trilha de trem de carga abandonada transformada em um parque elevado) promovida pela marca de luxo americano, Coach, pela qual ela é o rosto de sua fragrância. E Moretz, em um vestido floral claro desenhado pela marca, está arrepiada.

“Não é o melhor vestido para este tempo”, Moretz faz uma careta. Como se saísse do nada, um assistente usando um headset aparece para oferecer um guarda-chuva e um cobertor.

Moretz acasula a si mesma dentro do agasalho e é levada a um ambiente mais seco. Ela sorri antes de adicionar sombriamente, “Me cobrir em um cobertor só pode ajudar o jeito que eu pareço agora”.

Coach selecionou Moretz para ser um dos seus embaixadores em 2015, reconhecendo-a como uma jovem celebridade que também exerce influência considerável.

“Chloë tem uma sensação de otimismo que eu sinto resumir a Coach”, disse o diretor criativo da marca, Stuart Vevers, para Stellar. “Seu estilo fácil e sem esforço parece relevante. E ela é um pouco rebelde – nós gostamos disso”.

Moretz acha que mulheres jovens e adolescentes gravitam para ela porque “é relevante agora ter um ponto de vista – e o meu não é forçado, em certo sentido.”

“As mulheres jovens, em particular, são capazes de ver que não é um ato e não é um show. Eu só tenho muitos pensamentos e idéias que eu decido realmente empurrar para fora”.

Ela sofreu algumas vezes por fazer isso; quando criticou as selfies quase nuas de Kim Kardashian como “voyeurismo” e “não sobre confiança corporal”, a estrela da realidade disparou. Moretz não está interessado em retomar esta briga, dizendo que ela é cansada de “ódio entre mulheres”. Em vez disso, ela diz que se desespera quando as jovens se recusam a se alinharem com o feminismo.

“Você quer direitos iguais? Você é feminista”, ela diz, encolhendo os ombros. “Isso me irrita – essa palavra foi vilaneada e tantas jovens têm medo de se unir a ela. Eu ouço mulheres jovens dizerem: ‘Oh, mas se eu me chamar de mim, esse cara não vai gostar de mim.’ Quem se importa se ele não gosta de você? Ele não merece você.”

“Eu quero que as mulheres jovens saibam que não precisam da atenção de ninguém – masculino ou feminino – para sua auto-estima”.

Moretz atribui esse sólido sentimento sobre si mesma à sua criação no estado sulista dos EUA, Geórgia. A atriz e seus quatro irmãos foram criados por uma mãe solteira.

“Tudo o que as pessoas procuram como rochas em sua vida – como um pai – eu não tinha. Minha mãe é um grande apoio, mas percebi que ninguém vai fazer um caminho mais fácil na vida para mim; Eu vou afundar ou nadar. Eu decidi não apenas nadar – mas subir”.

Mesmo assim, ela enfrentou algumas correntes poderosas no caminho à cima. Até o ano passado, ela namorou Brooklyn Beckham.

Os dois mantiveram uma relação muito millennial (Geração Y), publicando fotos românticas no Instagram, indo a tapetes vermelhos e se abraçando na capa da Teen Vogue. Então tudo ficou ruim.

“Passei por um ano difícil e não vou esconder isso”, confirma Moretz. “Eu tive que lidar com esse novo nível de fama enquanto eu estava crescendo, eu estava saindo de um relacionamento e tudo era muito público. Eu queria esconder.”

Para reabastecer, ela diz, entrou no modo eremita ao ficar em casa. Mais uma vez, foi a família dela que a ajudou a se recuperar.

“Eles estavam tipo, ‘É ótimo que você quer ir embora, mas você não pode. Você é sua própria pessoa. Você vai ter que lidar com esse tipo de coisa.’ Eu senti como se as coisas estivessem se desfazendo, como se minha cabeça e meu coração não estivessem no mesmo lugar.”

“As coisas começaram a mudar quando eu percebi que eu tenho o poder de mudá-las”.

Ela traz essa mesma atitude, talvez agora mais do que nunca, para seu trabalho. Moretz cita Julianne Moore (sua co-estrela em Carrie) e Meryl Streep como modelos. Como elas, ela quer a longevidade na carreira e isso significa assumir papéis que outros não podem ver como a melhor opção.

“Eu realmente sigo meu instinto na escolha de trabalho. Eu nunca escolho com base no orçamento ou no dinheiro.”

“É sempre impulsionado pela criatividade e verdadeiramente baseado em se eu posso ou não seguir em frente sem estragar [um] personagem cinematográficamente. Eu quero que seja algo que, não importa como, eu me orgulhe”.

Não muito tempo depois que ela se encontrou com Stellar, Moretz confirmou que ela estava de volta com Beckham, comendando uma de suas postagens no Instagram com um emoji de coração. Na semana que se seguiu, o casal mostrou-se usando roupas combinadas e dançando em um corredor de supermercado.

Eles usavam anéis com as iniciais um do outro e foram pegos pelos paparazzi fazendo compras em Dublin, onde Moretz estava filmando The Widow, um de seus cinco filmes com lançamento nos próximos anos. Os céus irlandeses parecem sombrios nessas fotos, exatamente como estavam durante aquela festa em Nova York.

Mas a própria Moretz parece quente e feliz – e reitera uma coisa final que ela contou a Stellar. “Sou jovem; Ainda estou crescendo. Eu quase não tenho nada solucionado, mas estou tentando.”

Fonte | Tradução: Bruna Rafaela – CMBR

Chloë é capa da edição do mês de Agosto da revista Variety, na qual concedeu entrevista exclusiva, onde fala sobre política e o sexismo de Hollywood. Confira abaixo a matéria completa e traduzida:

     Há um ano, a Convenção Nacional Democrata negociava com celebridades como Maryl Streep, Lena Dunhan e Elizabeth Banks. Mas nenhuma destas celebridades teve tanta proximidade com um candidato quanto Chloë Grace Moretz, que subiu ao palco 45 minutos antes de Hillary Clinton.
“Foi um dos momentos mais felizes da minha vida, com certeza” lembra Moretz, de 20 anos, numa tarde recente, sentada com sua cadelinha de dois meses, Ruby. (…)

Moretz tem algo em comum com sua geração multitarefa: ela sabe o que é se esgotar como adolescente. Depois de estrear em dezenas de filmes desde que era apenas uma criança, Moretz percebeu, aos 18, que precisava de um intervalo de um ano. (…) “Foi uma das coisas mais importantes que já fiz na minha vida”, diz Moretz à Variety. “Isso me permitiu permanecer de pé e pensar: ‘eu tive uma carreira desde os 6 anos de idade, eu fiz mais de 52 filmes, e quem sou eu?'”

Muitos conhecem Moretz de filmes como “Kick Ass” e “Carrie”. Fora das telas, ela também conquistou muitos seguidores nas redes sociais, com 13.4 milhões de fãs no Instagram navegando pelo seu feed, que é mais caracterizado pelos retratos em preto e branco do que por selfies. Seu momento mais notório na internet foi ano passado quando se pronunciou sobre Kim Kardashian postando um ‘selfie-nude’. “É triste por ela ter agido assim, existe muito ódio entre as mulheres.”

Chloë sempre interpretou personagens femininas fortes. Sua estudante feminista em “Vizinhos 2”, além de papéis de apoio em “Laggies” e “Clouds of Sils Maria”, onde interpreta uma estrela de cinema. Mas agora, Chloë entra em seus 20 anos com um novo mantra: “Eu quero fazer coisas que levem alguma mensagem às pessoas, e que mostre um lado da vida que talvez as pessoas não conheçam“, explica.

O primeiro roteiro que leu depois de sua pausa foi “The Miseducation of Cameron Post”. Ela gravou este filme durante as eleições, o que a deixou atordoada. Ela foi dormir cedo na noite das eleições, pois precisava acordar em um certo horário no dia seguinte. Quando acordou, ela olhou seu celular e gritou “Ai meu Deus, eu vou trabalhar em um filme de terapia gay, que Pence apoia.”, ela lembra, referindo-se ao vice-presidente.

Dia 9 de novembro foi um dia sombrio no set. Moretz estava soluçando até a diretora Desiree Akhavan se dirigir ao elenco e à equipe. “Nós todos observamos esse filme minúsculo, e ela deu um discurso de como naquele momento, ele se tornou um dos filmes mais importantes sendo feitos. Foi doloroso, mas ser capaz de usar isto como saída tornou-se tão terapêutico.”

Um pouco depois da vitória de Trump, alguns dos amigos de Chloë pensaram em fugir dos Estados Unidos, mas foi quando ela percebeu que sua voz era uma ferramenta muito poderosa. “Eu disse: ‘Não! Isso não é o que você faz como americano. Como americano, você luta por seu país, e protegemos nosso país, protegemos nossos direitos e protegemos aqueles que são fracos e não conseguem falar!”

Moretz, que tem 100% de certeza de que verá uma presidente feminina em sua vida (“Eu tenho 60 anos em frente!”), está preocupada com as ações da administração de Trump. Mas ela vê a presidência dele como um despertador. “Tem um problema enorme neste país, e nós temos que falar sobre ele.”

(…) Aos 6 anos ela atuou pela primeira vez no remake de “The Amityville Horror”. “Daí em diante, eram dois ou três filmes por ano, então era algo que simplesmente veio para mim.”

Chloë ainda fala um pouco sobre sua família: “Eles me ajudaram a me manter verdadeira sobre quem eu sou. Mesmo que eu namore alguém, eu digo: ‘minha família em primeiro, minha carreira em segundo, e você em terceiro. É como é, e eu sinto muito.'”

Assim como a maioria das jovens de Hollywood, Moretz também teve suas experiências de sexismo. Seus irmãos estiveram lá para ajudá-la nos piores momentos, inclusive quando foi envergonhada no set de um de seus filmes por um parceiro de cena. “Esse cara que era o meu interesse romântico dizia: ‘Eu nunca namoraria você na vida real’, e eu pensei: ‘O quê?’, e então ele disse: ‘É, você é muito grande para mim’ pelo meu peso. Foi um dos únicos atores que me fizeram chorar no set. (…) Isso só te faz perceber que existem muitas pessoas más por aí, e por alguma razão, ele se sentiu na necessidade de dizer isso para mim.”

Quando questionada se já recebeu menos que algum ator no mesmo filme, Moretz diz: “Mesmo que você for paga igualmente, são as pequenas coisas, especialmente se o papel masculino for maior que o seu. Não te escutam como algo importante, e você pega o banco de trás.” Ela ainda conta outra história de como não foi  selecionada para um filme pela cor de seu cabelo: “Só porque já tem outra loira no filme você não pode me escolher? Isso é um jeito tão masculino de olhar as coisas.”

Após o término de seu namoro com Brooklyn Beckham, Chloë foi muito atacada em suas redes sociais. “Muitas fotos maldosas minhas foram feitas no Photoshop, e as pessoas fizeram ‘memes’ nojentos meus, e é importante para eles saberem que eu vi todas e não acho engraçado nem bonito. Não é legal, é bullying, e machuca, não vou negar isso.”

Felizmente, Moretz possui muitas amigas, inclusive Zoey Deutch, que diz: “Eu acho que tem uma suposição de que todas as atrizes são competitivas, e talvez algumas sejam, mas Chloë me apoia tanto em um ponto imaginável. Ela é uma irmandade.”

Depois de uma pausa de Hollywood, Chloë está de volta à atuação com uma vingança, com quatro projetos programados para sair no próximo ano. Ela ainda diz que tem planos para se lançar como diretora em um futuro não tão distante. “Há coisas que eu mudaria em minha vida, mas a única que não mudaria é o motivo de começar a atuar e o motivo pelo qual permaneci atuando.”

Fonte





Chloë Moretz Brasil é um fansite não-oficial sem fins lucrativos. Não possuímos nenhum contato com a Chloë, seu agente, sua família, amigos, etc. Pedimos que os arquivos traduzidos pela equipe do site, assim como conteúdos pesquisados e editados por nós, sejam sempre creditados quando usados em outro site. Se há algo seu aqui e você gostaria que nós retirássemos, por favor entre em contato conosco antes de tomar qualquer ação legal.